Pedagogia e pedagogos para quê? ( José Carlos Libâneo)

                 José Carlos Libâneo    
                             Biografia            
 José Carlos Libâneo, nasceu em Angatuba, interior do estado de São Paulo, em 1945 e fez seus estudos iniciais e o ensino médio no Seminário Diocesano de Sorocaba (SP).Graduou-se em filosofia na PUC (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo),  em 1966. “MESTRE” da educação escolar brasileira concluído em 1984 e “DOUTOR” em educação, posteriormente. Sua dissertação de mestrado em filosofia da educação mostra sua preocupação com as práticas pedagógicas. Em sua tese de doutora-mento, deixa isso claro e examina sobre os fundamentos teóricos e práticos do trabalho docente. Libaneo é bastante conhecido no meio educacional pelas profundas contribuições teóricas que produz na área. Articula uma reflexão crítica sobre a natureza histórico- social dos conteúdos de ensino e a própria didática de transmissão destes conhecimentos. Ele ensina pesquisa e escreve sobre assuntos de teoria da educação, Didática, política Educacional e Escola pública. É atualíssimo os seus conhecimentos e seus compromissos com o projeto político pedagógico da escola. Iniciou suas atividades profissionais em 1967, como Diretor do Ginásio Estadual Pluricurricular Experimental (SP), por seis anos. Em 1973 fundou e dirigiu por três anos o Centro de Treinamento e Formação de Professores da secretaria da Educação Estadual em Goiânia. A partir de 1975, tornou-se professor da faculdade de educação da Universidade Federal de Goiás.

    











 
           
LIVRO: PEDAGOGIA E PEDAGOGOS, PARA QUÊ?

  Segundo o autor a escola pode ajudar no desenvolvimento de competências comunicativas que possibilitarão um dialogo e um consenso baseado na razão critica, o desenvolvimento da autonomia, isto é individuos capazes de serem inetrlocutores competentes de expressar suas idéias, desejos e vontades, de forma cognitiva e verbal, incluindo a perspectiva do outro ( nivel de informações, intencões ) e a capacidade de dialoga. A escola é o lugar de receber a infância, ajudá-la a crescer e torna-se adulta suscitando o desenvolvimento do sujeito capaz de um pensamento autonomo e ativo, a busca da razão critico-emacipatória.
Objetivo para uma educação básica de qualidade:
*Preparação para o mundo do trabalho – atender as demandas economicas de emprego, preparar para o trabalho e para as formas alternativas de trabalho, visando a flexibilização que caracteriza o processo produtivo.
* Formação para a cidadania crítica ou seja é um cidadão – trabalhador capaz de interferir criticamente na realidade para transformá-la e não apenas formar para integrar o mercado de trabalho.A escola deve continuar investindo na ajuda aos alunos a se tornarem criticos, a se engajarem na luta pela justiça social e entender o papel que deve desempenhar, como cidadãos criticos, e que a escola os capacitem a desempenhar este papel.
* Preparação para a participação social – é uma exisgência educativa para viabilizar o controle público não-estatal sobre o estado, mediante o fortalecimento da esfera pública não-estatal.
* A formaçãoo ética é um dos pontos fortes da escola do presente e do futuro – a emancipação objetiva de todas as formas de dominação torna-se possível se os índividuos desenvolverem capacidades de aprendizagem baseadas numa prática comunicativa.
O acontecer educativo corresponde a ação e ao resultado de um processo de formação dos sujeitos ao longo das idades para se tornarem adultos pelo que adquirem capacidades e qulidades humanas para enfrentamento de exigências postas por determinado contexto social. A educação conjunto das ações processos, influências, estruturas que intervem no desenvolvimento humano de índivudos e grupos na sua relação ativa com meio natutal e social, num determinado contexto social. A relação ativa dos individuos com o meio natural e social implica na mediação da cultura, visando desenvolvimento da personalidade, ou seja, aquisição das qualidades especificas do gênero humano. O homem entra em cena na hostória como um ser ativo, isto é, portador se uma atividade consciente e objetivo sobre o meio, transformando a natureza e o meio social e transformando a si próprio.
 É um processo interativo em que o sujeito constroi seus conhecimentos através da sua interação com o meio numa inter-relação constante entre fatores inetrnos e externos. Sendo um fenômeno social enraizado nas contradições, nas lutas sociais de modo que é nos embates da práxis social que vai se configurando o ideal de formação humana. Mediantes conhecimentos, habilidades, valores, modos de ação, os sujeitos internalizam aquelas qualidades e capacidades humanas necessárias a sua atividade prática transformadora perante a realidade natural e social.

      


Nenhum comentário:

Postar um comentário